quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

CONVITE | Plantação nas margens do Uíma

Este dia fazemos uma estreia e pela primeira vez vamos plantar a um domingo! A nossa meta é plantar 350 árvores nativas no Parque das Ribeiras do Uíma (Lobão/Fiães), uma belíssima área ribeirinha que tem vindo a ser recuperada pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. Além da plantação de árvores haverá momentos para contemplar e interpretar a paisagem, a flora e a fauna e tomar contacto com algumas técnicas de engenharia natural. Para adensar e diversificar o coberto arbóreo e arbustivo da área (área envolvente à ETAR e Açude da Preta) vamos plantar lódãos-bastardos, carvalhos-alvarinhos, pilriteiros, freixos, entre outras espécies.

Detalhes & inscrições. (Enviaremos recomendações, coordenadas geográficas exatas e outras informações úteis para o seu e-mail)


Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pelo CRE.Porto em colaboração com a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e a Junta de Freguesia de Fiães. Colabora a Associação Idiotas. As árvores (todas nativas) são fornecidas pelo Projeto Floresta Comum. É cofinanciada pelo ON.2.

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Valongo a caminho da meta das 10.000 novas árvores nativas até 2015

No passado sábado (25 de outubro) a manhã foi de confraternização e muito trabalho. Juntou-se um animado grupo de 25 participantes voluntários constituído por veteranos do projeto FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, pela família do proprietário da área, bem como com um dinâmico grupo da AMO-Portugal.

Os trabalhos começaram por volta das 9h30 e foram plantadas e adubadas 215 árvores (200 sobreiros, Quercus suber e 15 carvalhos-alvarinho, Quercus robur). A plantação foi brindada pela presença de uma salamandra-de-pintas-amarelas que nos veio visitar.

Em simultâneo com a plantação, a equipa do FUTURO iniciou a caracterização de detalhe da parcela para se proceder à posterior monitorização desta plantação.

Obrigada a tod@s! Veja as FOTOS.

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pela Câmara Municipal de Valongo em colaboração com a AMO Portugal e Junta de Freguesia de Valongo, com o apoio do CRE.Porto. O fertilizante (composto Nutrimais) foi gentilmente cedido pela Lipor. É cofinanciada pelo ON.2.

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Semear e propagar árvores nativas


No passado dia 25 de outubro decorreu o terceiro workshop realizado no âmbito do FUTURO na Jardiland Maia. Desta vez a sessão foi conduzida pelo Eng. Luís Côrte-Real (ICNF) que começou por apresentar as características das sementes de algumas árvores nativas (como a do carvalho, azevinho, vidoeiro, etc.) e depois os métodos de recolha, seleção, conservação e processamento, nomeadamente dos aplicados no Centro Nacional de Sementes Florestais. Também foram abordadas as formas de propagação das plântulas.

No final da manhã, a seguir à componente teórica, o grupo de 36 participantes foi até à margem do rio Leça (uma das áreas do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto) descobrir mais sobre como as sementes se dispersam na natureza. Neste momento, milhares de bolotas formam um tapete no solo, graças aos carvalhos-alvarinhos (Quercus robur) que compõem a galeria ripícola.

Esta é uma área onde as plantas invasoras estão presentes (plumas, erva-da-fortuna e acácias) e por isso também foi tema de conversa. Felizmente para as plantas nativas, está para breve uma ação de controlo para esta área. ;)

Obrigada a todos! Veja as FOTOS.

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovida pelo CRE.Porto em colaboração com a Câmara Municipal da Maia e Jardiland Maia. Colaborou graciosamente o Eng. Luís Côrte-Real, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas. É cofinanciada pelo ON.2.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Detalhes da ação em Valongo

Data | 25 de outubro 2014
Hora e local de encontro dos participantes | 09h45, Centro de Interpretação Ambiental (CIA) | Coordenadas geográficas: 41º11'06.42''N 8º29'49.20''O
Duração | 10h00-13h00
Localização | Na Serra de Santa Justa, 10 minutos a pé do CIA.
Descrição | Plantação de 200 sobreiros no Monte das Pedras na Serra de Santa Justa.
Recomendações especiais para os voluntários | Calçado adequado e vestuário confortável e adaptado às condições meteorológicas; água e lanche (se entenderem); luvas e sacho/enxada (se tiverem)
[Quer participar? Inscreva-se aqui]

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pela Câmara Municipal de Valongo em colaboração com a AMO Portugal e Junta de Freguesia de Valongo, com o apoio do CRE.Porto. É cofinanciada pelo ON.2.

Detalhes da ação sobre sementes na Maia


[Inscrições encerradas]
Data | 25 de outubro 2014
Hora e local de encontro | 9h45, Loja Jardiland Maia, Estrada Nacional, nº 13, Km. 5,5, Maia | Coordenadas geográficas: 41.227123,-8.635571
Público-alvo | Geral
Duração | 10h00-12h30
Localização | A ação decorre na loja da Jardiland Maia e na margem do rio Leça.
Recomendações especiais | Calçado adequados e vestuário confortável e adaptado às condições climatéricas.

Descrição | Nesta ação teórico-prática ficará a saber como recolher sementes e propagar algumas das espécies florestais nativas da região. Quem nos vai conduzir pelo mundo das sementes nessa manhã é o Eng. Luís Côrte-Real (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas).

Programa
09h45 | Encontro na loja
10h00 | Palestra sobre sementes e propagação de plantas
11h30 | Demonstração no campo
12h30 | Encerramento dos trabalhos

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é promovida pelo CRE.Porto em colaboração com a Câmara Municipal da Maia e Jardiland Maia. Colabora graciosamente o Eng. Luís Côrte-Real, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas. É cofinanciada pelo ON.2.

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

CONVITE | Época de plantação abre em Valongo

No próximo dia 25 de outubro começa a época de plantação de árvores no concelho de Valongo. Nesse dia, amigos da floresta nativa vão rearborizar com sobreiro (Quercus suber), a nossa árvore nacional, a parcela “Monte das Padras” na Serra de Santa Justa. O objetivo da plantação é o mesmo de ações anteriores do FUTURO nesta serra: contribuir para a reconversão do coberto arbóreo das Serras de Santa Justa e Pias – Sítio Rede Natura / Paisagem Protegida Local.

Participe! Garantimos uma manhã muito bem passada! :)

Esta atividade desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é organizada pela Câmara Municipal de Valongo em colaboração com a AMO Portugal e Junta de Freguesia de Valongo, com o apoio do CRE.Porto. É cofinanciada pelo ON.2.
Detalhes & inscrições. (Enviaremos recomendações, coordenadas geográficas exatas e outras informações úteis para o seu e-mail)

domingo, 12 de Outubro de 2014

Árvores com história: Carvalho-alvarinho [Quercus robur]

Texto: Rubim Almeida* | Foto: Marta Pinto
Botanicamente, o nome Quercus designa todos os carvalhos, incluindo espécies tão diferentes como o são o carvalho-alvarinho, a azinheira e o sobreiro e foi Plínio quem, ao traduzir os textos de Teofrasto, usa pela primeira vez o nome latino “quercus” em lugar da designação grega “Drys”, utilizada na época.

A origem daquele nome poderá ter sido a latinização do celta “Kair quez”, palavra que significaria árvore bela, árvore por excelência. Contudo, outros autores sugerem diferentes etimologias relacionadas, nomeadamente, com o verbo latino “quaerere” – perguntar – pois os oráculos dos deuses reuniam-se debaixo de carvalhos. Outra possível origem seria a partir da palavra grega “kratos” – forte, robusto - e outra relação provável seria com o sânscrito “karkara” – duro.

Na velha Europa, não há dúvida nenhuma que o Quercus mais conhecido e disseminado é Quercus robur, o qual entre nós recebe a designação vernácula de Carvalho-alvarinho, Albarinho, Alvarinho, Roble, Carvalho-comum, Carvalheira e Carvalho.

sexta-feira, 10 de Outubro de 2014

Os fungos como protagonistas em processos de reflorestação

No passado dia 29 de Outubro a equipa do FUTURO marcou presença no seminário “Fungos ectomicorrízicos como protagonistas em processos de reflorestação”. Este encontro marca o encerramento do projeto LeadingForest, levado a cabo por investigadores do Centro de Biotecnologia e Química Fina da Escola Superior de Biotecnologia (Universidade Católica Portuguesa). O projeto teve como objetivo estudar de que forma a inoculação de fungos e bactérias, e a combinação de ambos, nas raízes de plantas florestais, pode melhorar o seu desenvolvimento, através de uma maior capacidade de absorção de água e sais minerais. As espécies escolhidas para este ensaio foram Pinheiro bravo (Pinus pinaster), Pinheiro-manso (Pinus Pinea), Carvalho alvarinho (Quercus robur), Sobreiro (Quercus suber) e Carvalho americano (Quercus rubra). Segundo os investigadores foi possível verificar alguma eficácia da inoculação das raízes das plantas florestais com fungos e bactérias, tanto em laboratório como no campo. No entanto destacou-se a grande especificidade e complexidade entre a combinação fungo-bactéria, a espécie da árvore e o local onde as árvores são plantadas.

O FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto – colaborou neste projeto através da identificação de áreas experimentais e apoio das plantações realizadas no campo.

quinta-feira, 9 de Outubro de 2014

Primeiro Encontro de Técnicos do FUTURO reúne 35 técnicos


No passado dia 2 de outubro realizou-se, em Espinho, o Primeiro Encontro de Técnicos do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto. O encontro foi dedicado exclusivamente aos Técnicos Superiores dos parceiros envolvidos na implementação do projeto, marcando o início da atual Campanha de Plantação 2014-2015 e consistiu numa ação de formação sobre identificação e controlo eficiente de plantas invasoras.

Durante a primeira parte da sessão, Hélia Marchante, investigadora na área das plantas invasoras, destacou a necessidade de uma gestão bem planeada no controlo das invasoras. Para conquistar terreno às plantas invasoras não podemos “ter mais olhos que barriga, subestimar e virar as costas ao inimigo, acreditar em receitas milagrosas e ignorar o regime de fogo”.

Na parte prática os participantes visitaram o Castro de Ovil, onde puderam experimentar a técnica do descasque e conhecer de perto diversas plantas invasoras.

Participaram técnicos das Câmaras Municipais de Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, bem como da Associação dos Silvicultores do Vale do Ave, da Fitonovo e do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, além da equipa do CRE.Porto.

O encontro constituiu uma importante oportunidade para trocar experiências e consolidar a rede de parceiros do FUTURO. Ver fotos.

Este encontro desenvolvido no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, foi promovido pelo CRE.Porto, Universidade Católica Portuguesa e Área Metropolitana do Porto, em colaboração com a Câmara Municipal de Espinho, a Escola Superior Agrária de Coimbra / Instituto Politécnico de Coimbra e o Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra. É cofinanciado pelo ON.2.

Este ano o FUTURO vai às escolas

O FUTURO vai às Escolas é uma iniciativa piloto do FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto – que pretende contribuir para a consciencialização das crianças, dos adolescentes e de toda a comunidade escolar sobre a importância das árvores e das florestas urbanas nativas no nosso dia-a-dia, bem como sobre formas de colaborar na sua criação e manutenção.

A iniciativa destina-se a escolas do 1º Ciclo de Ensino Básico ao Ensino Secundário e consiste numa palestra e atividade prática ajustadas a cada ciclo de ensino que abordam aspetos como o que é floresta urbana, o que são árvores nativas e quais são, como identificar as espécies, entre outros. O projeto piloto decorre no ano letivo 2014/15 e está previsto um número limite de 6 escolas por cada município (Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia).

As visitas às escolas irão decorrer entre novembro de 2014 e abril de 2015. Para poder beneficiar da atividade cada escola interessada deve apresentar a sua inscrição até ao dia 21 de outubro de 2014 (a seriação das escolas será feita por ordem de inscrição). Mais informação aqui.

Esta iniciativa desenvolvida no âmbito do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, é promovida pelo CRE.Porto. A componente formativa é assegurada pela Universidade Católica Portuguesa (Porto). É cofinanciada pelo ON.2.